SABIA QUE O EXERCÍCIO FÍSICO ANDA DE MÃO DADA COM A ALIMENTAÇÃO ?!

SABIA QUE O EXERCÍCIO FÍSICO ANDA DE MÃO DADA COM A ALIMENTAÇÃO ?!

É do conhecimento geral, o impacto benéfico que uma alimentação equilibrada, completa e variada tem na saúde e bem estar geral.

Porém, os benefícios de uma alimentação adequada e ajustada a cada indivíduo estendem-se para além do bem estar, dado que possibilita otimização do desempenho desportivo, não só pela maximização do rendimento físico mas também intelectual.

Para tal, é essencial que as necessidades energéticas e nutricionais sejam alcançadas, permitindo atingir o peso desejado, e sobretudo, uma composição corporal saudável.

Deste modo, é igualmente proporcionada a adaptação muscular e metabólica induzida pelo exercício, bem como uma boa recuperação entre sessões de treino. De realçar ainda, o peso da dieta na redução do risco de doença e de lesão. 

Portanto, quando pretende emagrecer, ou seja, reduzir massa gorda, é primordial criar um balanço energético negativo, o qual passa mandatoriamente por restrição energética.

O balanço energético negativo ocorre quando o gasto energético é superior à ingestão energética.

Assim, a melhor forma de atingir os seus objetivos, passa pelo cumprimento de um plano alimentar  hipoenergético e prática regular de exercício físico, originando o défice energético tão necessário.  

Num processo de emagrecimento deve evitar-se a adoção de dietas que prometam resultados “milagrosos”, cuja restrição energética severa comprometerá de certo a manutenção de massa isenta de gordura.

Em casos de hipertrofia, deve ser originado um balanço energético positivo, onde a ingestão energética supera o dispêndio energético, tendo em conta que um dos principais objetivos será potenciar a síntese de proteína muscular.

Neste sentido, a ingestão proteica adquire especial relevância na medida que, após o exercício da força, o balanço proteico continua negativo até nova ingestão proteica, sendo primordial ter em conta a quantidade, o momento de ingestão e a fonte deste macronutriente.  

No que concerne o dispêndio energético, este varia consoante os diferentes tipos de exercício, dependendo não apenas de fatores como duração, frequência e intensidade, mas também do sexo, idade, estado nutricional, dimensão corporal e massa isenta de gordura.

Em suma, quando inicia um programa de melhoria da composição corporal beneficiará sempre da orientação de um nutricionista qualificado, que poderá aconselhar acerca das necessidades individuais de energia, nutrientes e fluidos.

Fonte da imagem: healthy


Achou interessante? Partilhe este artigo:


Ao continuar a visitar este website está a concordar com a utilização de cookies. mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close